Preço da gasolina aumenta busca por combustíveis alternativos

Em abril de 2019, a Petrobrás aumentou o preço da gasolina em 3,5% nas refinarias, sendo o último aumento de 3 %, dentro de apenas um mês. O repasse aos postos de combustíveis dependia de variáveis como impostos, margens de lucros dos postos e distribuidoras. A gasolina vendida pela Petrobrás representa 32% do preço final do combustível.

A ANP (Agência Nacional de Petróleo), desde 2002, possui um regime livre, para praticar preços em todos os segmentos do mercado de combustíveis e derivados de petróleo. Não há tabelamento nem fixação de valores máximos e mínimos. Porém, cabe à ANP monitorar e cuidar dos interesses dos consumidores quanto ao preço, qualidade e oferta de combustíveis automotivos derivados de petróleo.

A ANP realiza semanalmente análise dos preços e margens de comercialização de combustíveis, concentrando essas informações mensalmente em um relatório de acompanhamento do mercado. Além do comportamento dos preços, a Agência rastreia possíveis infrações, que possam estar vindo dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, MPF, dos Procons e outras instituições no País.

A rota do biodiesel por exemplo da RenovaCalc, que é uma ferramenta que calcula o desempenho ambiental da produção de biocombustíveis, está sendo revista, nesse caso, está sendo feito maior apuração sobre a elegibilidade da soja, revendo os critérios definidos na regulamentação da RenovaBio, como a não supressão da vegetação nativa e a regularidade do cadastro ambiental rural na área das plantações.

Mas, voltando aos preços dos combustíveis, há preocupação entre as importadoras de combustíveis, o diesel por exemplo, que estava com valor inalterado e agora, poderá voltar a subir com o aumento no valor base para a cobrança de ICMS.

A partir de quinta-feira, 16 de maio de 2019, os consumidores mineiros, começarão a sentir as alterações nos preços ( Minas Gerais tem a 3º gasolina mais cara do país), podendo se estender a outros estados brasileiros. Há um impasse ainda, por parte do presidente Bolsonaro, com as instabilidades internas e externas em partes iniciadas pela crise dos USA com o Irã, os preços dos barris de petróleo podem fazer com que o Planalto reveja sua política de reajustes da gasolina e diesel.

Aproveitamos a temática dos últimos reajustes nos valores dos combustíveis para falar sobre os principais combustíveis consumidos no mundo e formas sustentáveis e tecnológicas que os estão substituindo.

Petróleo

É um recurso natural, formado em um complexo processo orgânico, com mais de uma teoria em seus inúmeros estudos. Sua complexa combinação de hidrocarbonetos que sofre alterações químicas para refinação e utilização, conta com seu maior percentual voltado para o setor dos transportes. Em seguida, vem o setor industrial, utilizando como subproduto ou matéria-prima, em forma de energia ou não. Podemos incluir a agricultura, setores comerciais, públicos e residenciais.

Produtos derivados: parafina, gás natural, GLP, produtos asfálticos, nafta, querosene, solventes, óleos combustíveis, lubrificantes, diesel e combustível para viação.

Veículo elétrico

Essa é uma das formas inovadoras em economizar combustível e emitir zero poluentes na atmosfera. Os veículos elétricos utilizam propulsão através de motores elétricos. A maioria roda a base de baterias de íon de lítio e outros a base de hidrogênio, recursos considerados ‘verdes’. As gigantes do mercado automobilístico vem investindo alto em estudos e testes para trazer melhoria nas baterias e utilização de recursos em larga escala sem impactar o meio ambiente e mantendo o filosofia sustentável-renovável.

O veículo elétrico funciona com motor simples e prático, bem mais silencioso que os que utilizam combustão interna e o carregamento de seu sistema, é feito diretamente em tomadas elétricas.

O primeiro projeto do veículo elétrico foi desenvolvido em 1828 na Hungria.

Em 1835 os veículos elétricos foram adaptados para funcionarem sobre trilhos, gerando grande avanço na área de transportes.

1899 foi quando o primeiro veículo elétrico atingiu os 100km/h.

O novo impulso na produção dos veículos elétricos, parte dos USA e Japão, preocupados com o aumento do preço do petróleo, no Brasil, a iniciativa parte das próprias usinas lideradas pela Itaipu, mantendo parcerias no desenvolvimento de veículos com energia limpa.

Biocombustível

Derivados de biomassa que se substituem parcialmente ou totalmente, esse tipo de combustível é derivado de petróleo e gás natural.

No Brasil o principal biocombustível líquido produzido é o etanol, obtido da cana-de-açúcar.

Temos também o biodiesel, produzido a partir de óleos vegetais ou gorduras de animais e adicionado ao diesel de petróleo em proporções variáveis.

Ar comprimido, energia solar, hidrogênio, e tantos outros meios alternativos vêm sendo estudados e desenvolvidos, inclusive por projetos que envolvem estudantes adolescentes. Há uma preocupação maior com o meio ambiente e os impactos dos combustíveis e a emissão dos poluentes, muitas empresas inclusive tem patrocinado e apoiado pequenos projetos que podem se tornar o carro chefe no futuro.

A boa notícia é que 45% da energia e 18% dos combustíveis consumidos aqui no Brasil, são de fontes renováveis, somos pioneiros no uso de combustíveis alternativos. Dados da ANP, órgão governamental.

É de extrema importância que o Brasil continue na vanguarda, apoiando cada vez mais projetos que gerem sustentabilidade, também o uso de energia alternativa com segurança e novas normas surjam trazendo liberdade e permissão para que o brasileiro não fique refém das altas do petróleo.

About the Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *